sexta-feira, 1 de julho de 2011

Chave da Visão - Coletânea "Chaves de um Tracer Cristão"

 
   Este é um dos 11 estudos que buscam apresentar a forma que o parkour consegue firmar os caminhos com Jesus, e como os ensinamentos de Jesus são aplicáveis aos treinos de parkour.

Chave da Visão
“Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.” (João 4.35)

   Um dos significados da palavra “visão” é “vista, aspecto, presença” (Dicionário Priberam). Para o parkour, a visão é essencial. Conseguir enxergar o muito no pouco, o tudo no nada e o divertido no abandonado são características essenciais de todo tracer. Certa vez, na história, um homem perguntou para seu amigo religioso o que significava Jerusalém, e a resposta foi: “representa nada... E representa tudo!”, isso porque a terra de Jerusalém é como todas as outras, mas o que aconteceu naquele local faz dela o tudo para as três principais religiões do planeta. E os tracers têm esse “poder”, de transformar algo desprezível em local de vários momentos inesquecíveis. Mas, qual a relação disso com Deus? Como o próprio versículo nos ensina, constantemente nós fechamos nossos olhos para o que temos de bom e apenas imaginamos o que pode dar errado (o que pode ser colhido hoje, nós pensamos que estará pronto só daqui quatro meses). Um grande filósofo francês disse: “A vida é cheia de infortúnios terríveis, no qual a maioria deles nunca verdadeiramente aconteceu.” Isso significa que, a maioria das tristezas que passamos, são simplesmente porque perdemos a visão de Jesus, e perdemos a visão de tracer. Queremos apenas imaginar o erro dos nossos movimentos, ao invés de olhar para os lados e ver o maior parque de diversão em uma casa abandonada.
   No livro “Dias Melhores Virão – Max Lucado” é citada uma ótima passagem sobre o que Deus vê e aquilo que nós vemos: “...o que preocupa você não preocupa Deus. O que cansa você não cansa Deus. A águia se incomoda com o tráfego? Não, ela voa acima dele. A balei fica inquieta com um furacão? É claro que não; ela mergulha abaixo dele. O leão se agita com um rato no meio do seu caminho? Não, ele pisa no rato. E quão mais Deus é capaz de voar acima e mergulhar abaixo de nossos problemas e pisar neles?” Quando entendemos que nós temos a possibilidade de, juntamente com Deus, ter a visão correta da hora de voar acima do tráfego, mergulhar abaixo do furacão e pisar em um rato, nós podemos prosseguir uma vida de tracer cristão. Nós conseguimos tornar as situações mais angustiantes em vantagens para nossas vidas! Você acha isso difícil? Pois eu não disse que seria fácil, mas vai abaixo uma ajuda para a visão que nós devemos ter.
   O presidente de uma grande firma estadunidense estava indo para o seu trabalho a pé. Era o primeiro dia que ele trabalharia aquele ano, e em sua maleta estavam todos os planos e previsões para ano que se iniciara. Enquanto andava planejando em seus pensamentos como cumprir suas metas, veio um homem encapuzado e roubou sua maleta. O presidente correu para recuperar toda sua papelada, mas o ladrão entrou em um carro e desapareceu em meio às ruas de Nova Iorque. Enquanto isso, no salão de sua empresa os funcionários foram avisados sobre o ocorrido, e imediatamente começaram a se preparar para receber um chefe nervoso com um péssimo início de ano. Passaram algumas horas e, pela imensa porta de vidro da empresa, chegou o presidente, sem maleta, com o rosto tomado do suor, mas com um grande sorriso no rosto. Todos se espantaram, e rapidamente um funcionário indagou:
   - Chefe, se o senhor foi roubado, como ficamos sabendo, e perdeu tudo o que tínhamos para este ano, porque está sorrindo?
   O grande visionário da história respondeu sabiamente:
   - Por quatro motivos! Primeiro, porque minha vida, o bem mais importante, não foi roubada; segundo, porque eu nunca fui roubado antes; terceiro, porque eu perdi sim tudo o que havia planejado, mas eu posso planejar coisas ainda melhores; e em quarto lugar, porque eu fui roubado, mas não fui eu quem roubou.
   Acredito que, sendo tracer ou não, esse homem teve uma linda visão sobre uma péssima situação. Ele viu o maior parque de diversão em um esgoto (como aconteceu aqui na minha cidade), e mais do que isso, ele foi se divertir lá! Então, busque na sua vida visionar as situações da mesma maneira que Jesus quer que você veja, Ele quer que você olhe e exalte os campos que já estão prontos para a colheita!
   LEMBRE-SE: Onde os homens viam um coletor de impostos, um carpinteiro, um médico, alguns viajantes e pescadores, Jesus viu homens que mudariam uma geração com seus testemunhos, e formou seus discípulos!
   Obs.: Quando me refiro aos “parques de diversão”, me refiro aos locais que mais gostamos de treinar e passamos a maior parte do nosso tempo.

Autor: Dc. Samuel L. Maciel (Líder e Fundador do GP)
Revisão: Fillipe Ramos (Movimente e GP)

Receba nossas atualizações:

Parceiros


Nosso Twitter