quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Luke Albrecht Relata Sua Viagem ao Oriente Médio (Jordânia e Israel)


   No vídeo acima você pode conferir vídeos do atleta Luke Albrecht (EUA) no Oriente Médio.

   "Em 2012 eu tive uma oportunidade incrível de viver no oriente médio por dois meses! Um mês na Jordania, e outro em Israel. Esta viagem foi a última parte do meu YWAM DTS Adventure.
   Depois de morar em Denver por um trimestre, mergulhando fundo em um relacionamento com Deus por meio do estudo, pela comunidade, professores maravilhosos e pregadores com paixão, o grupo do qual eu fazia parte se dirigiu para fazer evangelismo no oriente médio. Eu poderia escrever horas e horas sobre as coisas que fizemos nesses países, mas eu quero focar especificamente em como eu fui capaz de usar o parkour como uma forma de me aproximar e formar amizades com os jovens locais da Jordania e Israel.
   Como um grupo nós fomos nos orfanatos, ensinamos inglês para os oficiais do governo, atravessamos as ruas orando e evangelizando, e tocamos tantas vidas, fizemos muitos amigos. A Biblia se tornou tão viva para nós enquanto andávamos pelo mesmo chão que tantas figuras dela andaram. Deus estava trabalhando na vida de cada um de nós de forma poderosa enquanto nós conhecíamos a vida nestes lugares únicos e antigos. Mas, voltando ao parkour! Como um tracer eu fui capaz de me conectar com os locais em uma maneira especial, que nenhum do meu time foi capaz.
   Muito rapidamente eu conheci muitos jovens, e mesmo com a grande barreira da lingua, nós conseguimos nos identificar pelo movimento e fomos capazes de desenvolver amizades profundas sem nem precisar conversar! Nas noites eu saia e encontrava os meus amigos e nós íamos treinar como eu treinaria com qualquer um. Eu ensinei várias coisas pra eles, e eles me ensinaram também, nossas capacidades realmente aumentaram por causa da diversidade da movimentação de culturas totalmente diferentes. E ainda assim, tinha tantas similaridades para se identificar! Era engraçado ouvir Árabes de repente falando "kong" ou "precisão"! A parte realmente excitante foi que o parkour fomentou uma compreensão, um respeito entre todos nós, mesmo que eu seja um estrangeiro e especialmente um Americano! Eu era livre para compartilhar tudo sobre a minha fé e falar sobre Jesus e mesmo orar para alguns dos meus novos amigos.
   Por causa da incrivelmente hospitaleira cultura, eu pude passar um tempo a sós com quase todos eles enquanto me convidavam para almoçar ou jantar, ou mesmo me levar para casa deles para passar tempo com eles. Durante um destes almoços, um dos meus amigos foi tão tocado pelo que eu estava dizendo sobre Jesus que ele disse que queria achar uma Bíblia e lê-la! Este foi um muçulmano sendo tocado pelo evangelho de um Deus pessoal, e o amor de um salvador redentor.
   A conversão ao cristianismo pode facilmente significar perseguição intensa, e até execução nestes países muçulmanos! Qualquer forma de evangelismo é ilegal nestes países e é tratado com muito rigor, mas eu não ligava, porque as boas novas sobre Cristo são muito boas para que eu fique quieto, e Deus é tão desesperado e ansioso para que as pessoas tenham a coragem para compartilhar do seu amor nestes lugares que quando alguém vai, ele facilita muito as coisas! Eu só confiei em Deus para me deixar seguro e eu soube que estava no coração dele tocar radicalmente a vida desses meus novos amigos. Parkour também foi tão eficiente com os Judeus quanto com os muçulmanos! Missões com parkour é revolucionário e tem tantas bençãos, favor e unção! Quando nós moramos em Israel, pelo segundo mês, nós ficamos bem do lado da própria Jerusalem! Nossa localidade era onde era a casa de Caiphas! Só caminhar um pouco e nós entravamos pelo portão de Zion em Jerusalém.
   Eu devo dizer, a antiga cidade de Jerusalém é de longe um dos lugares mais espetaculares para fazer freerunning que eu já estive! A cidade é tão antiga e tem tanta história, e ainda sim, permanece, e se junta a algo novo! Foi uma experiência tão espiritual treinar por Jerusalem! Não há como descrever. Eu só senti tanta afeição pelo meu Pai e eu adorei a Ele da minha maneira especial no meio da Sua cidade e nação. Parkour me levou para ótimos encontros com todo o tipo de gente na cidade. Judeus, árabes, armênios, turistas... A lista continua! Nunca eu estive em nenhuma hostilidade, ou conflito, todos os encontros eram positivos e todo mundo estava muito animado e maravilhado pelo que eu estava fazendo. Eu fui capaz de conversar com todos e compartilhar minha fé lá, enquanto eu me sentia guiado. Tinham tantas pessoas que eu orei, e eu pude até ver algumas curas, e pessoas encontrando a presença de Deus pela primeira vez! Quando eu estava em Tel Aviv, eu corri para uma comunidade de Parkour que morava na área. Nós treinamos juntos na praia e foi um tempo tão bem aproveitado. Parkour tem uma habilidade surpreendente de reunir as pessoas e criar amigos para toda a vida instantaneamente. Eu tenho muitas fotos desta aventura maravilhosa, e muitas, muitas histórias para contar! Sintam-se livres para me perguntar sobre!" (Luke Albrecht)

Traduzido por: Allan Souza
Correção Gramatical e Revisão: Samuel Maciel
   

Receba nossas atualizações:

Parceiros


Nosso Twitter